quinta-feira, 6 de abril de 2017

Precisamos falar sobre Kevin, Hedwig, Patricia, etcetera.

Como uma fã declarada de Bates Motel ao assistir ao trailer de Fragmentado (Valeu, Leozinho 💕) era de se esperar que minha curiosidade fosse despertada. 


O trailer já nos oferece uma ampla visão do que podemos esperar da história: um jovem, de nome Kevin, apresenta TDI (Transtorno Dissociativo de Personalidade) e possui, ao todo, 23 personalidades (e uma vigésima quarta prestes a "ir para a luz"). Dentre estas temos Dennis, um homem seriamente metódico, com uma infinidade de TOC's; Patricia, uma gentil e fervorosa religiosa; Hedwig, um garotinho de nove anos bastante curioso, inteligente e até cômico (se ignorarmos, é claro, o contexto de toda a situação); Barry, um talentoso aspirante a estilista - seus desenhos são de uma beleza e delicadeza só. Como dito anteriormente (e no texto já linkado), as personalidades são bastante peculiares, cada uma com gostos, traços e características definidas e sabem, no caso do filme, da existência das demais.

Dennis é o responsável pelo sequestro de Casey, Claire e Marcia. Elas não foram sequestradas por acaso; foram escolhidas e só sabemos o porquê disso nos minutos finais do filme nosso primeiro plot twist 💃.

Casey acaba por se destacar entre as garotas: primeiro porque, de acordo com as colegas, ela sempre fica além do horário escolar convencional por mau comportamento e é bastante reclusa. E depois porque vislumbramos um pouco de sua história, mais especificamente de sua infância, através de flashbacks, e aviso: preparem-se para sentir um terrível incômodo e forte angústia por um acontecimento que marca, de maneira dolorosa e profunda, a vida da garota e está completamente relacionado ao seu comportamento tido como indisciplinado. Anya Taylor-Joy desempenhou seu papel de maneira incrível e conseguimos captar as intenções e sentimentos de Casey, sentindo junto com ela aflição, desespero e principalmente, medo.


James MacAvoy é um show à parte. Meu queixo despencou inúmeras vezes com suas mudanças de expressão facial e corporal; isso sem falar nas entonações que sua voz adquiria conforme cada personalidade vinha à tona. Há uma cena em específico, ou melhor, duas, em que ele encena várias personalidades em SEGUNDOS, minha gente! 😧 Imagino a imersão do ator ao compor cada uma, atribuindo-lhes nuances bem específicas... Conversando com alguns amigos sobre a possibilidade praticamente remota dele ser indicado ao Oscar, ainda torço para que a Academia seja justa e lhe dê a nomeação a melhor ator porque, de verdade, é um espetáculo ver o que esse cara fez com Kevin e os demais.


Gostaria de destacar ainda a Dra. Karen Fletcher, interpretada por Betty Buckley. Ela é a psicóloga responsável por acompanhar o caso de Kevin e de acordo com suas palavras: acredita em seus pacientes. Em uma cena, na qual palestra via skype, Karen reforça o potencial que há em pacientes com TDI e durante o filme percebemos o compromisso em realizar o seu trabalho da melhor maneira possível, ouvindo e buscando compreender seus pacientes, até mesmo os desafiando, como o faz com Barry Kevin. 



Fragmentado é intrigante e com doses certeiras de suspense. Nos faz questionar a complexidade mas também fragilidade de nossa mente. Um filme bem produzido. Um presente para os fãs e admiradores do diretor M. Nigth Shyamalan, especialmente a última cena. E se você, assim como eu, ficou um pouco ou talvez muito perdido com o Bruce Willis naquele bar (😛), sugiro que assista ao vídeo da Lully para entender o que esse plot fucking twist significa.

Que tal compartilhar suas impressões com a gente? Quero (e preciso) conversar desse filme com mais alguém, haha 😘

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...