quinta-feira, 5 de março de 2015

Resenha: Deixe a Neve Cair \o/

SinopseNa noite de Natal, uma inesperada tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio romântico, do tipo que se vê apenas em filmes. Bem, mais ou menos. Porque ficar presa à noite dentro de um trem retido pela nevasca no meio do nada, apostar corrida com os amigos no frio congelante até a lanchonete mais próxima ou lidar sozinha com a tristeza da perda do namorado ideal não seriam momentos considerados românticos para quem espera encontrar o verdadeiro amor. Mas os autores bestsellers John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle revelam a surpreendente magia do Natal nestes três hilários e encantadores contos de amor, interligados, com direito a romances, aventuras e beijos de tirar o fôlego.

O livro é a compilação de três contos narrados por (em ordem): Maureen Johnson, John Green e Lauren Myracle. O que as três histórias possuem em comum? A maior nevasca dos últimos 50 anos que atinge a cidade de Gracetown, Carolina do Norte, a véspera do Natal, uma Waffle House, líderes de torcida e romance <3

O primeiro conto, intitulado O Expresso Jubileu (meu favorito, amo forte) traz Jubileu (ou Julie), uma garota que vê seus planos de passar a véspera de Natal com seu “quase perfeito” namorado Noah irem por água abaixo após um acontecimento X. Então, Jubileu está a caminho da Flórida, para a casa dos avós, e seu trem bate em uma grande camada de gelo. Incomodada com a presença de um grupo de líderes de torcida (doze, ao todo), Jubileu sai do trem e ruma para a Waffle House. Lá conhece Stuart, um garoto que mora nas proximidades e que gentilmente lhe convida para ir até sua casa enquanto a situação do trem não era solucionada. Ela aceita e é muito bem acolhida pela mãe de Stuart, uma figuraça.

“- Minha mãe literalmente me espancaria com uma mangueira se eu não oferecesse ajuda a alguém na véspera de Natal”. Pág. 49.

 Além de boas canecas de chocolate quente e roupas secas, Jubileu irá vivenciar uma oportunidade especial de reavaliar uma situação de sua vida que há um bom tempo martelava em sua cabeça. A escrita de Maureen é divertidíssima, fluida e eu me apeguei instantaneamente à Julie e, especialmente, ao Stuart (vemk ♥). Com certeza está na lista de releituras. 

O segundo conto – O Milagre da Torcida de Natal -, do meu amado João Verde, irá contar a história de Tobin, Duke e JP, amigos que resolvem passar a véspera de Natal em frente à TV assistindo uma maratona de James Bond. Entretanto, após receberem a ligação desesperada de Keun, amigo do trio, que trabalha na Waffle House e vira o lugar ser cercado por um grupo de líderes de torcida, eles embarcam em Carla (carro dos pais de Tobin) em direção ao lugar. Um sufoco para chegarem até a bendita Waffle House, mas toda a aventura vale a pena porque ao final um personagem percebe um sentimento e agarra a oportunidade de vivenciá-lo com alguém bastante especial.

“- Eu estava dizendo a Billy que achava que não poderia ir ao baile idiota com ele, porque não consigo parar de gostar de outra pessoa”. Pág. 199.

Bem, minha relação com as histórias do John parecem se repetir sempre (faltam apenas dois livros dele para eu ler): os primeiros capítulos não me empolgam, são maçantes até, mas a partir do quarto ou quinto, sou capturada por sua escrita que, particularmente, adoro e aí o resto é só alegria (ok, nem sempre, mas isso ficará para outro post). Amo a construção dos personagens e o humor característico de suas histórias.

O terceiro e último conto, O Santo Padroeiro dos Porcos, cujo título é o mais divertido e criativo do livro, praticamente não me fisgou. Sim, talvez pelo fato de eu ter lido quando o sono já me dominava ou porque acelerei a leitura para concluir parte da meta de uma maratona que estava participando. A história contada será a de Addie e seu doloroso arrependimento pelo vacilo que dera com Jeb, seu namorado. Addie não me despertou muita simpatia, apesar de ao final curtir sua mudança de atitude, provando para si mesma e para todos que ela poderia pensar além de seus próprios dramas.

 “ – Adeline, você torna as coisas muito mais difíceis para si mesma do que precisa – falou ela. – Garota bobinha, não é o que o universo nos dá que importa. É o que nós damos ao universo”. Pág. 322.

 Além dessa “mudança” da personagem, gostei muito de Tegan, uma de suas melhores amigas e seu quê de doçura. Não há muito a acrescentar sobre a história, apenas esperava algo mais, sabe? Espero que Lauren possa me surpreender com uma futura leitura.

A edição do livro é um amor. A capa e contracapa com seu tom de azul, os flocos de neve marcando presença e também estampando o canto superior do início de cada capítulo, tudo bem pensado para combinar com a nevasca que cai, literalmente, sobre cada história.

Romances, uma dose de aventura e bom humor te esperam. 

Ficha Técnica:

Título: Deixe a Neve Cair
Autores: John Green, Maureen Johnson, Lauren Myracle
Tradutor: Mariana Kohnert
Ano: 2013 - 1ª edição
Editora: Rocco

Por: C.Schreave. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...